D

Depilação a laser

A depilação a laser é feita através de aparelhos que emitem um feixe de luz concentrada que tem atração pela melanina (pigmento marrom da raiz do pelo).

São necessárias várias sessões para se atingir o resultado desejado. Este número dependerá do local tratado, da densidade dos pelos e do ciclo de crescimento deles. Em média, são necessárias 6 sessões.

Cor da pele, espessura e cor do pelo são fatores determinantes no resultado do tratamento. Cerca de 80% dos pelos são eliminados – os que não são eliminados geralmente crescem mais lentamente, são mais finos e mais claros. Os melhores resultados acontecem em pessoas de pele clara e pelos escuros. O aspecto “definitivo” nem sempre é alcançado, mas em geral há uma grande diminuição dos pelos quando o procedimento é indicado corretamente. Ocasionalmente são necessárias sessões extras para manter o resultado alcançado.

Em indivíduos com pele morena ou bronzeada podem ser necessárias mais sessões para se conseguir o resultado desejado, pois a intensidade do laser utilizada deve ser menor – a pele ao redor do pelo também apresenta pigmento marrom e pode absorver a energia do laser e isto causar queimaduras ou manchas.

O aparelho utilizado no tratamento será determinado pelo médico, de acordo com a pele e com as características do paciente. O laser de diodo é o mais utilizado, devido à sua segurança. Os aparelhos são seguros, o índice de complicações é baixo, desde de que sejam operados por médicos habilitados.

As complicações mais comuns são: queimaduras, manchas escuras ou claras (reversíveis ou não) e até cicatrizes. Quando um profissional despreparado realiza este tipo de tratamento há um maior risco de complicações.

É importante evitar exposição solar durante o tratamento, com uso de filtro solar específico. O ideal é a pele não estar bronzeada para um resultado melhor e mais rápido.